VOCÊ CONHECE O PROJETO TAMAR?

Então eu vou lhe apresentar, exceto para Sueli Calais que, como diretora do Jornal MG Turismo, já fez matéria aqui. Sem preguiça, leia isso:
Eram os últimos anos da década de 70 e não havia registro de qualquer trabalho de conservação marinha no Brasil. As tartarugas marinhas já integravam a lista das espécies em risco de extinção. Estavam desaparecendo por causa da captura incidental em atividades de pesca, da matança das fêmeas e da coleta dos ovos na praia.
No sul do Brasil, um grupo de estudantes cursava os últimos anos da Faculdade de Oceanografia da Universidade Federal do Rio Grande (FURG) e organizava expedições a praias desertas e distantes para desbravar, descobrir, pesquisar, conhecer o litoral do país e as ilhas oceânicas. Ao mesmo tempo, o grupo fazia pesquisa dirigida, com o apoio do Museu Oceanográfico do Rio Grande.
O Projeto Tamar foi criado em 1980 e hoje é reconhecido internacionalmente como uma das mais bem-sucedidas experiências de conservação marinha. O nome Tamar foi criado a partir da combinação das sílabas iniciais das palavras tartaruga marinha.
A Fundação é uma instituição não governamental, sem fins lucrativos, que em reconhecimento ao trabalho desenvolvido foi certificada pelo Ministério da Justiça em 1996 como entidade de Utilidade Pública Federal.
Seja Biólogo por um dia: Nesse projeto você tem a "inesquecível experiência de conhecer e acompanhar o trabalho que a Fundação Projeto Tamar desenvolve para a proteção das tartarugas marinhas.
Crianças e adultos de todas as idades podem seguir os passos de nossa equipe no centro de visitação, nas ações de educação ambiental e na veterinária, participando de atividades como o cuidado com as tartarugas, o preparo e alimentação dos animais, e conhecendo o porquê de todo esse trabalho."
O mar está bem "mexido". Minhas lembranças de mar perigoso aqui era no mês de agosto. Tínhamos muitos problemas com os ferry boats.na travessia Salvador- Ilha de Itaparica.
Já falei na outra matéria que o Tamar está presente em 9 estados brasileiros, em 22 bases de pesquisa
Os números do sucesso estão ai.

As tartarugas botam e enterram os ovos. Os filhotes rompem os ovos após 45/60 dias. Os bichinhos vão subindo na areia, geralmente à noite, e se dirigem para o mar 


As estacas marcam onde os ovos foram enterrados pelas mamães.

Esse mar merece mais um registro.
Vamos mostrar as adultas 
Outra informação: são cerca de 120 ovos por ninho.
E tem as tartarugas de cor esverdeadas. 
Olha os diversos tamanhos.
Um tanque com filhotinhos. 
Opa! Essa está recebendo uma injeção. A veterinária informa que ela está doente.
Um vídeo complementa as informações.
O pai da jovem, que visita diversos centros do projeto pelo sul do país, foi um dos primeiros a se envolver nessa nobre missão. Aqui ela apresenta no vídeo o primeiro pescador, de Santa Catarina, a aderir ao uso de anzóis curvos e não desse formato tradicional de "J". Os curvos são menos prejudiciais às tartarugas que fisgam a isca dos pescadores.
Com certeza o Tamar trouxe uma nova consciência de proteção a essa espécie, caso contrário, certamente que hoje elas estariam extintas, pois era comum serem utilizadas como alimento pelos pescadores.

Comentários

  1. Ludimila Alves Pereira25 de junho de 2021 08:33

    Bacana demais a matéria,passeio muito bacana e lugares maravilhosos!

    ResponderExcluir
  2. Uma verdadeira aula de biologia. Linda região!
    Lenir

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comente este post!

Posts mais visitados do último mês